protagonismo do estudante protagonismo do estudante

Entenda a importância de motivar a agência do estudante!

6 minutos para ler

Aprender não deve ser algo imposto na escola. Quando isso acontece, crianças e adolescentes acabam não tendo muito prazer nessa jornada e não se tornam ativos no aprendizado, fato que faz toda a diferença na formação de cidadãos atuantes, curiosos e interessados em fazer a diferença na sociedade.

O período escolar não prepara apenas para o vestibular ou para uma profissão, mas, sim, para uma educação global. Por isso, é tão importante trabalhar a agência para que o aluno se torne o principal responsável pelo seu aprendizado.

Mais do que decorar fatos, datas ou fórmulas, o importante é aprendê-los e compreendê-los. Isso porque nosso cérebro trabalha com associações: para que uma informação possa permanecer na memória, é preciso que exista uma conexão com algo significativo em nossa vida. 

Neste artigo, vamos explicar por que ser agente do processo de aprendizado é uma bagagem única, que faz a diferença para a vida inteira, e como uma escola e os pais podem facilitar esse caminho. Vamos lá?

Por que estimular a agência do estudante

Quando você estimula a agência de aprendizes juntamente com diferentes valores como a tolerância, eles passam a entender que outras pessoas, com suas diferenças, também têm uma opinião válida. Esse é um dos princípios do Bacharelado Internacional (IB), que trabalha o desenvolvimento de jovens investigadores, curiosos, bem-informados e, principalmente, solidários, uma vez que ajudam a criar um mundo melhor a partir da compreensão e valorização da diversidade..

Dessa maneira, os professores de IB trabalham diversas características dos alunos durante as aulas para que essas crianças e jovens se tornem mais participantes durante a jornada do aprender. O IB coloca essas características como o perfil desenvolvido com o aluno e elas são as seguintes:

  • investigador (inquirer);
  • informado (knowledgeable);
  • pensador (thinker);
  • comunicador (communicator);
  • íntegro (principled)
  • mente aberta (open-minded);
  • solidário (caring);
  • audaz (risk-taker);
  • equilibrado (well-balanced);
  • reflexivo (reflective).

Quando essas características são trabalhadas diariamente, o aprendizado acaba sendo mais amplo, o que permite aos alunos se tornarem donos de si. Você não recebe informações e, sim, busca-as com a ajuda dos professores. Os ganhos com uma educação assim se estendem para a vida — e tratamos deles na sequência.

Os benefícios de estimular a agência do estudante

Ao proporcionar uma educação internacional holística e de altíssima qualidade, possibilidades proporcionadas pelo Bacharelado Internacional, é possível ir muito além do conteúdo das aulas — que também são aprendidos com profundidade. Entenda quais são os benefícios de tornar o aluno agente de seu aprendizado.

Aprendizado contínuo e prazeroso

A ideia não é que os professores entreguem os conteúdos para os alunos como sendo detentores de toda a sabedoria, mas que eles sejam guias, levando os aprendizes ao questionamento e à busca do conhecimento. Estamos falando de profissionais com a mente aberta, flexíveis e que valorizam o “vamos descobrir juntos”.

A partir do momento em que eles passam a fazer mais e mais perguntas, o gosto pelo aprendizado é despertado, há entusiasmo no processo e isso não tem tempo de duração, pois acompanha os jovens por toda sua trajetória. 

Na prática, eles se tornam pessoas que vão atrás de respostas e não aceitam um simples não no caminho. Com essa sede de aprendizado, podem se transformar no tipo de cidadão que vai fazer do mundo um lugar menos poluído e com igualdade, por exemplo, uma vez que não aceita o simples “porque sim”.

Responsabilidade e autonomia

Um dos pontos do Bacharelado Internacional quanto à agência dos aprendizes é permitir que eles participem ativamente e contribuam com a escola e sua comunidade, seja ela local, seja global. Ou seja, ganham consciência da responsabilidade de cada uma de suas ações e passam a refletir sobre o impacto do que fazem.

Ao mesmo tempo, desenvolvem autonomia para fazer suas escolhas, uma vez que têm um maior acervo de informações, refletem mais e conseguem agir com segurança em cada passo escolhido (por eles mesmos!).

Aumento da criatividade

Uma vez que as crianças e adolescentes não recebem as informações, mas são incentivados a buscar o conhecimento, a pensar e a perguntar mais, a criatividade torna-se um bônus nessa jornada.

Atitude frente aos problemas

Ser um agente do próprio aprendizado é um ótimo caminho para se tornar ativo quanto aos próprios problemas. Isso significa que esses jovens buscam resolver e encontram várias possibilidades de ação, em vez de ficarem reclamando, passivos diante da situação.

Os pais podem ajudar nesse processo

Quanto à família, é fundamental que os pais se mostrem empolgados com o aprendizado dos filhos e não façam tudo por eles. Assim, podem permitir que aprendam com os erros. Ensiná-los a explorar o que não sabem também ajuda muito nessa rotina, sempre incitando-os a serem curiosos.

Além disso, mostre às crianças como verificar informações, para que entendam que nem tudo que lemos na internet está certo ou é sinal de que se está aprendendo com isso. Questionar sempre, certo?

O papel da escola nesse incentivo

Assim como é fundamental a família encorajar os filhos a serem mais ativos, a escola é outra fonte importante desse aprendizado.

A St. Nicholas School entende esse papel de forma muito clara e oferece às crianças a possibilidade de fazerem diversas escolhas, tanto no dia a dia como na área de interesse deles. Nesse sentido, reflexão sobre as consequências de suas ações e diálogo são partes inerentes ao aprendizado.

A escola também trabalha a independência, autonomia e expectativas. Assim, desde a mais tenra idade, os estudantes sabem o que precisam para uma atividade e onde encontrar tudo na sala de aula. Também entendem o que é esperado deles e que é uma opção atender a essas expectativas ou não.

Contar com professores preparados para essa educação mais holística faz toda a diferença e, assim, a St. Nicholas oferece uma formação continuada e do próprio Bacharelado Internacional. Dessa maneira, o ensino faz com que eles se tornem agentes de seu próprio desenvolvimento, entendam quais são as suas próprias metas e o que precisam fazer para atingi-las.

É interessante preparar os filhos para o mundo desde sempre, para que sejam cidadãos ativos e responsáveis. Para saber mais sobre o que St. Nicholas faz nesse sentido, entre em contato conosco!

Jennifer Fletcher é coordenadora do Early Years na St Nicholas Alphaville. Com mais de 20 anos de experiência na escola, fez pedagogia no ISESP e pós-graduação em educação na universidade Bishop Grosseteste em Lincoln, Inglaterra.

Sharing is caring!

Posts relacionados

Deixe um comentário